Assine nosso RSS

A Tecnologia da Informação em prol das Seguradoras

abr - 14 - 2015
Daniel Domeneghetti

O mercado de seguros vivencia no Brasil um momento inédito, marcado por acentuados níveis de expansão em praticamente todos os segmentos e tipos de produto e, principalmente, por inúmeras oportunidades nas mais diversas frentes. Uma série de fatores tem contribuído para que essa indústria avance rapidamente para consolidar conquistas históricas e efetivar seu reconhecido potencial de crescimento em uma das principais economias emergentes do mundo.

Um dos facilitadores dos avanços recentes desse setor é a Tecnologia da Informação (TI), que passou a propiciar desde a última década uma maior capacidade de planejamento para empresas, a fim de aumentar o interesse por produtos de seguro, entre tantos outros benefícios.

Aliada à exuberância do nosso mercado interno, outro item determinante dessa realidade – na qual conta com a elevação do poder de consumo das partes significativas da população – a TI possibilita ao securitário grandes oportunidades que continuarão a se abrir para todos os segmentos de seguros e que resultarão sempre em beneficio na relação com o cliente.

As empresas se tornarão cada vez mais tecnológicas, refletida em seus processos, produtos serviços e canais, que serão fortalecidos pela evolução e barateamento das tecnologias da informação e comunicação. Mobilidade, Convergência e Colaboração (MCC) serão os principais direcionadores das arquiteturas e estruturas tecnológicas para habilitar a integração da empresa com os players de seu ecossistema e com seus clientes. Com isso, o trabalho remoto e em rede será uma realidade dentro do segmento securitário brasileiro através da utilização de tecnologias experienciais, biométricas, de localização, e até neurais.

Aplicativos em nuvem, componetização de aplicações, TI como serviços, utilização de dados desestruturados como parte dos processos de inteligência corporativa também serão outras tecnologias voltadas para sustentar o crescimento do mercado segurador no País. Internet das Coisas, GeoX, Web-Services, NFC, M-Commerce/T-Commerce, BYOD, BPM e SaaS/ITaaS são outras tendências que necessitarão atenção das companhias de seguros.

Com a TI mais fluída e mais estratégica para os sucessos das seguradoras, definindo os seus contornos e suas fronteiras operacionais, vale ressaltar que antes de qualquer modernização na gestão, as empresas precisam estar sustentadas no quarteto fantástico do modelo de governança varejista, tais como conhecer, servir, fidelizar e reter cliente.

Especialista em Estratégia Corporativa, Top Management Consulting e Gestão de Ativos Intangíveis.


Daltonismo das Marcas

Meio & Mensagem, Março, 2017

Como fazer mais com menos após o boom da crise?

Portal Making Of - Janeiro, 2016

Opinião: Como fazer Mais com Menos

Portal Meio & Mensagem – Janeiro, 2016 (*) Por Daniel Domeghetti Crise! ...

Como fazer Mais com Menos após o Boom da crise?

Portal Revista Infra Outsourcing & WorkPlace - Janeiro, 2016

Como fazer mais com Menos após o Boom da Crise?

Portal Capital News - janeiro, 2016