Assine nosso RSS

Os Dez Maiores Erros das Empresas em Sustentabilidade

jun - 15 - 2011
Daniel Domeneghetti

Por: Amanda Camasmie

Daniel Domeneghetti

Daniel Domeneghetti: "As empresas devem incorporar a sustentabilidade nas práticas, processos, produtos e serviços". (Crédito: Phill Costa)

Ser sustentável é um atributo que valoriza a imagem de uma empresa. Mas não basta ser sustentável. “Uma empresa só tem valor se é percebida pelo público que precisa impactar”, afirmou Daniel Domeneghetti, especialista em estratégia corporativa, no Comitê de Sustentabilidade e Marketing Trends, realizado em São Paulo.

Segundo o especialista, na intenção de realizar ações sustentáveis, as empresas têm cometido diversos erros que podem prejudicar seriamente suas imagens, ou melhor, suas reputações. “Não importa a imagem e sim a reputação. E reputação é a capacidade de manter sempre a confiança do cliente. É uma conta corrente diária e não uma fotografia como antigamente”, disse.

Além de trazer benefícios para a sociedade, as ações sustentáveis são um diferencial competitivo essencial para as companhias.

Mas muitas têm cometidos erros em suas estratégias, que podem colocam em xeque qualquer iniciativa verde.

Em um estudo realizado com 350 empresas, a consultoria DOM identificou as dez principais falhas dessas políticas.

Os 10 principais erros corporativos em sustentabilidade
1) Não inseri-la no Core Business A sustentabilidade deve estar incorporadas nas práticas, processos, produtos e serviços centrais da empresa. Não apenas como investimento colateral e derivado.
2) Ausência de realismo As causas devem estar alinhadas às dimensões, perspectivas e demanda do mercado.
3) Inconsistência e priorização É preciso pensar no futuro e não ser imediatista.
4) Viés unidimensional Escolher ações sustentáveis que pouco têm a ver com a empresa. Isso não agrega valor. Uma empresa de TI, por exemplo, tem que pensar mais em iniciativas relacionadas à sua área, como reciclagem de eletrônicos ou redução de consumo de energia, e menos em plantar árvores.
5) Baixa percepção de impacto sistêmico no entorno Não compreender o impacto bilateral das iniciativas de sustentabilidade, ou seja, o que ela vai gerar para a sociedade.
6) Inconsistência de governança Sustentabilidade não pode ser prática “solta” na empresa. As responsabilidades das ações precisam estar claras e o conhecimento não pode estar disperso. A sustentabilidade deve ser tratada como ativo de valor e não como uma paixão de um diretor ou presidente.
7) Mensuração inexistente Não ter métricas de avaliação para entender qual valor que as ações geram para a empresa.
8) Comunicação oportunista e inexistente Saber comunicar é essencial. Há empresas que têm como pilar a sustentabilidade e ninguém sabe disso.
9) Visão e valores dispersos e desalinhados Alinhamento deve vir do alto escalão. Deve ser uma prioridade. E vale lembrar: não se deve fazer só porque todos estão fazendo.
10) Miopia de inserção nos negócios Não enxergar a sustentabilidade dentro dos produtos ou serviços.
Fonte: DOM, consultoria focada em estratégia corporativa
Informações colhidas em estudo realizado com 350 empresas e publicado em março de 2011

Consultoria analisou 350 empresas e constatou as principais falhas das iniciativas verdes

Fonte: Epóca Negócios

Especialista em Estratégia Corporativa, Top Management Consulting e Gestão de Ativos Intangíveis.


Daltonismo das Marcas

Meio & Mensagem, Março, 2017

Como fazer mais com menos após o boom da crise?

Portal Making Of - Janeiro, 2016

Opinião: Como fazer Mais com Menos

Portal Meio & Mensagem – Janeiro, 2016 (*) Por Daniel Domeghetti Crise! ...

Como fazer Mais com Menos após o Boom da crise?

Portal Revista Infra Outsourcing & WorkPlace - Janeiro, 2016

Como fazer mais com Menos após o Boom da Crise?

Portal Capital News - janeiro, 2016